terça-feira, 11 de dezembro de 2012

QUADROS - Quadro 01

Robert Stevens Conett, "Spy"

QUADRO #1 
FRENTE DE COMBATE SURREAL-REICHIANA

Um gato se achega e se aninha em seu canto no gabinete do venerável e ilustríssimo general Lucas Leandro Áquila, erguido em ferro e vidro no topo da assim chamada Pirâmide do Mundo,  os cintilantes vagalumes-neon da Nova York pós-contemporânea pontilhando a paisagem a fluir como lava quente pelas avenidas, radiância loira e rubi que serpenteia pelos túneis, viadutos minaicos, & segurando o gato está o ilustríssimo e venerabilíssimo general Lucas Leandro Áquila que segura um gato e um controle em sua mão, ele gira a cadeira com o quadril tenso, alerta como uma estatueta de lince dourada, um telefone toca, duas palavras som em silêncio e duas respondidas: Sim, senhor. E levanta então o controle em sua mão, olha pro gato, com seu dedo indicador aperta o botão vermelho / aperta o botão vermelho. O ilustríssimo reverendíssimo general Lucas Leandro Áquila não consegue conter um sorriso.

O processo uma vez ativado transcorrerá inexorável, carga gigante derrubada sobre a história, o peso e a inércia, cascateiando eventos com um único resultado: 100% de eficiência na erradicação da vida orgânica sobre a Terra. (e enfim  - o silêncio, acompanhado por um discreto rumor de maquinaria).

Robert Stevens Conett, "The Bone-yard Walk"

Se isso estivesse sendo observado, documentado, se perguntariam porque alguém em sã consciência faria isso, mas não há referência, não há ninguém vendo, não há sã consciência, e será que um dia já houve? Gritam os devorados pelas névoas de nanomáquinas, carne fervente e podre - disparadores eretos, ferrões letais no abdomen dos tanques antibióticos, chamas oscilando refletidas na lataria do Carrasco, Erradicação, Rasgo, Caos, Mad Max no seu quintal. as sementes de plutão estão plantadas, esporro priápico nas terras de todo o mundo, o solo ácido, lençóis freáticos evaporados.

_ILUSTRÍSSIMO Reverendíssimo General Lucas Leandro Áquila, Será que a vida desperta, cônscia de si, seria capaz de - do alto da Pirâmide do Mundo - descender em mergulho contra sua própria raiz, estraçalhando-a? Ou podemos explicar a atitude do fanfarroníssimo general Lucas Leandro Áquila supondo-a inconsciente, à mercê de forças históricas alheias aos nossos melhores interesses?  Quais interesses são esses? Ou a vida é capaz de desejar a própria destruição, ou há algo não-vivo co-habitando com a vida, há uma anti-vida desde o berço familiar plantada no âmago da libido. O sorriso compromete o merdalhíssimo general Lucas Leandro Áquila, o afixa uma segunda vez à cadeia de comando da qual ele recebe seu input. Mas no Alto da Cadeia de Comando não há ninguém, um homem vitruviano cego e surdo, falando pelos cotovêlos, e no princípio, vitruvianamente, o Verbo.

Robert Stevens Conett, "Transvolution"

Nenhum comentário:

Postar um comentário